CHILOTE ROAD TRIP 2016: DISTRITO DOS LAGOS

Puerto Varas, Lago Llanquihue e PN Vicente Pérez Rosales

Voltando da Ilha de Chiloé (VER A MATÉRIA AQUI), passamos de largo de Puerto Montt para seguir direto ao nosso próximo destino, a pequena cidade de Puerto Varas. As cidades estão distantes somente 20km, interligadas pela Rota 5, o que facilitou bastante nossa decisão em seguir diretamente para o Lago Llanquihue, onde Puerto Varas se encontra em sua costa oeste. Estamos aqui na X (Décima) Região Chilena, conhecido como o Distrito dos Lagos.

Chegamos já de noite, pois a distancia de Castro, praticamente no meio da ilha, de Puerto Varas se faz sentir, incluindo o cruzamento em ferry da ilha para o continente. Nada que uma boa noite de sono, uma(s) garrafa(s) de vinho(s) e um lugar para descansar não resolvam.

A cidade é bem tranquila, com uma arquitetura bastante moderna influenciada pelo estilo europeo e, principalmente, alemão, cujas raízes estão totalmente ligadas a Puerto Varas. De fato, a localidade é considerada uma das principais colônias alemãs na América do Sul e faz desse destino um lugar cobiçado para quem quer ter tranquilidade e o conforto de uma cidade segura e organizada. Coincidimos que nos mesmos dias em que estávamos lá havia uma feira de artesanato no meio da praça principal e pude encontrar alguns amigos de viagem que conheci anos atrás. Uma coincidência agradável que me fez mudar de planos e ir me hospedar onde eles estavam, um refugio chamado HOSTAL DE LA TIA SUSI (BUSCAR PELA PAGINA NO FACEBOOK). Residência dessa simpática família, encontrei aqui um lugar para descansar durante 3 noites, enquanto meus amigos estavam alojados em um hostal no centro da cidade. No meu caso, que estava buscando algo barato e “alternativo”, foi a escolha ideal, além de estar acompanhado por mochileiros de todo o mundo. Se trata de uma casa de família, bastante simples mas organizada, que há alguns anos a família decidiu abrir para abrigar viajeiros de todo o mundo, por um preço bem acessível. Atualmente a Tia Susi cobra 3.500 p.chilenos (uma raridade!), com taxas extras se for o caso de tomar banho e comidas. Se estiver buscando algo econômico, genuíno e simpático, definitivamente esse é um lugar que eu recomendo. Mas entre em contato com a Tia Susi primeiro pelo Facebook para organizar sua estadia, ok?

MAIS INFORMACOES SOBRE O HOSTAL DE LA TIA SUSI, CLIQUE AQUI

Puerto Varas e Lago Llanquihue: dados turísticos e considerações

Segundo maior lago do Chile e terceiro maior lago natural da América do Sul, o Lago Llanquihue é um dos destaques do Distrito dos Lagos. Tres vulcões nevados são vistos do outro lado da vasta extensão de água: são eles o cone perfeito do Vulcao Osorno (2.680m), o cone irregular e imperfeito do Calbuco (2.015m) e o espigão do Puntiagudo (2.480m). Incrível como estes vulcões se destacam na regiao, podendo serem vistos inclusive desde a Ilha de Chiloé. No canto sudoeste deste lago, Puerto Varas é o centro turístico e comercial do Lago Llanquihue, recebendo milhares de turistas sul-americanos todos os anos, em todas as estações do ano.

Puerto Varas se presenta como a base ideal para passeios em torno do lago, cuja estrada asfaltada segue a margem sul até Ensenada, em direção ao Vulcao Osorno e ao Lago Todos los Santos. Na margem oposta, seguindo direção norte, chegamos pequena cidade de Frutillar, que é na verdade dividida em duas cidades: Frutillar Alto, fora da principal rodovia, e Frutillar Bajo, belamente situada na beira do Lago Llanquihue.

Na margem Leste do Lago, se encontra o Vulcao Osorno. Esse lindo vulcão, um dos destaques da regiao, é acessível por meio de transportes como carro ou ônibus que saem direto de Puerto Varas ou outras localidades até chegar ao Centro de Ski. Aqui se encontra o teleférico que nos leva a dois pontos mais altos, de onde partem algumas caminhadas de dificuldade mediana, até chegar a um mirante com vista aos glaciares que se desprendem do cume do vulcão. Com sorte, em um dia claro e sem nuvens, a vista deve ser impactante. Nossa experiência foi incrível, subindo até a ultima parte da trilha onde, após uma breve subida empinada, chegamos a mirante dos Seracs do glaciar do Vulcão Osorno.

Dando toda a volta do Lago, chegamos em Las Cascadas, de onde partimos as cachoeiras que dão nome á localidade. Siga as placas ao longo da estrada de ripio (estradas sem asfalto, com cascalhos, pedras e muita poeira) até chegar a um estacionamento, onde será cobrada uma colaboracao voluntaria. Aqui encontram banheiros e, continuando a pé por cerca de 40 minutos, no meio da floresta e cruzando riachos, chegamos a essa queda de água natural com 70m de altura aprox.

Parque Nacional Vicente Pérez Rosales

Criado em 1926, este é considerado o Parque Nacional mais antigo do Chile. Completamente coberto de matas, vai do leste do Lago Llanquihue até a fronteira argentina e abriga o grande Lago Todos Los Santos e os picos vulcânicos Vulcao Osorno, Puntiagudo e Tronador. Perto deste lago ficam os Saltos de Petrohué, as cachoeiras que descem do rio Petrohué e trazem turistas de todos os lados para conhecer essa linda paisagem. A recomendação é parar em qualquer centro turístico para consultar sobre as trilhas, horários e como acessar o parque, já que são varias as agencias turísticas mas também é possível conhece-lo de forma independente. Foi aqui que eu e minha txurma fizemos Rafting no Rio Petrohué, minha primeira vez com algo do tipo e, realmente, foi algo muito divertido. Consulte em qualquer agencia sobre os preços e modalidades, sempre tendo cuidado em buscar segurança e responsabilidade por parte dos operadores.

Lago Todos Los Santos e Saltos de Petrohué

Considerado um dos lagos mais belos do sul do Chile, o Lago Todos Los Santos é uma longa lamina de água verde-esmeralda e forma irregular, cercada por matas e montanhas. Deste lago, acessível por meio de uma estrada de rípio vindo de Ensenada e dos Saltos de Petrohué, saem excursões econômicas que levam a dar voltas de 30min aprox. no lago, atividades como kayak e rafting e também encontramos a localidade de Petrohué, de onde partem trilhas de vários dias para explorar a regiao, um terminal de ônibus e também um museu na beira do lago. A localidade é bastante turística, portanto se sugere chegar o mais cedo possível para evitar os grandes ônibus de turismos provenientes de Puerto Varas e Puerto Montt. Consulte o escritório da Conaf para buscar mais informações sobre as trilhas e atividades de aventura que podem ser feitas na localidade.

Entre a estrada que separa Ensenada de Petrohué, a 6km a oeste desta ultima, os Saltos de Petrohué se destacam como o grande atrativo turístico da zona. Formado por um fluxo de lava relativamente recente de rocha vulcânica sólida, este paradeiro está devidamente organizado para receber turistas com suas passarelas e mirantes das cachoeiras e corredeiras do Rio Petrohué que forma os saltos. A Conaf possui aqui também um centro onde se cobra uma módica taxa de entrada e que permite a circulação dos turistas ao longo da trilha devidamente sinalizada. Cuide sempre de seu próprio lixo e respeite o lugar: manter o tom de voz baixo e uma atitude ideal em ambientes como esse ajuda a preservar este patrimônio que deve ser considerado um bem de todos!

DSC_0210

Como sempre, a primeira coisa a fazer ao chegar em uma cidade como Puerto Varas é procurar um centro de informações turísticas para se orientar e coletar informações, principalmente para nós que andávamos livres para fazer o que queríamos. O problema é que chegamos tarde e já estava tudo fechado, o que inicialmente já nos deu uma impressão de ser uma cidade calma e que fecha tudo cedo. De fato, por volta das 22h, muitos negócios turísticos e lojas de interesse já estavam fechados e o centro ficou bem tranquilo. As únicas informações que encontramos foi no hostal, que nos fez decidir por dar a volta completa ao Lago Llanquihue no dia seguinte. A ideia foi sair cedo de Puerto Varas e começar por Frutillar Bajo (a parte Alta parece que não era tão interessante assim), onde encontramos um lindo sol e tomamos banho no lago na beira dessa linda e pequena cidade com vista ao Vulcão Osorno. Aproveitamos bastante esse fim de manha, curtindo essa água gelada do lago com uma vista espetacular. As fotos a seguir ajudam um pouco a ilustrar nossa experiência em Frutillar.

Depois foi a vez de seguir viagem, usando uma estrada de terra que nos levou ao redor do lago até a pequena cidade de Puerto Octay, onde paramos para abastecer de água e otras cositas más. Nosso dia foi um precioso achado no meio dessa paisagem, formada principalmente pela vista dos vulcões Osorno e Calbuco, além de alguns highlights do lago, da vegetação e dos animais que fomos encontrando no caminho. No fim da tarde ainda tivemos a brilhante oportunidade de conhecer uma cascata, praticamente desconhecida na regiao, na localidade de Las Cascadas. Uma trilha de aprox. 40 minutos nos leva a essa queda d’agua de 70 mts no meio da floresta, um lugar lindo que definitivamente não esperávamos encontrar na nossa rota. Tudo isso, informações que coletei no centro de informações turísticas em Puerto Montt (lembra que o de Puerto Varas tava fechado né). Junto com uma ótima companhia, terminamos o dia jantando no hostal dos meus amigos Daniel e Paula, merecidamente com um bom vinho e uma macarronada ao estilo “Barros” de ser! Obrigado por essa janta e por todos os dias passados juntos, galera!


 

RECOMENDACAO 1: Dependendo da época em que você for a essa região, vai ser fácil conhecer um inseto bem simpático, chamado tabano. Na minha vida acho que não conheci inseto mais insuportável do que esse! A dica é levar uma toalha ou roupas claras que te cubram por inteiro para evitar a impaciência que esse bicho provoca. E lembre-se: o importante é o contato com a natureza!

RECOMENDACAO 2: Independente do estilo de viagem que você está fazendo, a pedida é sempre passar em um centro de informação turística e nos centros da Conaf (Corporación Nacional Forestal – Chile) para conhecer e avaliar bem o que se pode fazer, quando e como, sempre de acordo com os dias disponíveis de sua viagem. No Chile isso faz ainda mais importante, já que a quantidade de Parques Nacionais é incrível, principalmente nesta região.

Várias das informações fornecidas nesta matéria foram retiradas da Guia Footprint Patagonia

DSC_0130

Acompanhe nosso blog de viagem para mais informações sobre a Chilote Road Trip 2016

Um abraço

Felipe “Pipo” .:. Viajando na Viaje


 

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s