CHILOTE ROAD TRIP 2016: PUCÓN E DISTRITO DE LA ARAUCANÍA

Volcán Villarrica y otras cositas ricas para hacer en la región

DSC_0119

Tendo ao fundo, no sudeste, o vulcão nevado Villarrica (2.840m), considerado um dos mais ativos do Chile, o Lago Villarrica é repleto de matas e é conhecido por ser um dos mais belos da regiao. Estamos no Distrito da Araucania, 8° regiao chilena, e suas duas principais cidades, Villarrica e Pucón, são algumas das cidades mais caras e turísticas do Chile, e costumam lotar-se no verão. Essa regiao é conhecida por seus vulcões, mas também vários parques nacionais e estações de águas termais, perfeitas para relaxar após um longo dia de caminhada. Tivemos a brilhante oportunidade de conhecer um dos seus parques mais conhecidos, o Parque Nacional Huerquehue, próximo ao lago Caburga e onde tivemos uma caminhada de aproximada 5horas em meio da mata fechada, e também as maravilhosas Termas Geométricas, próximas ao povoado de Lican Ray.


 

Pucón

DSC_0012

No ângulo sudoeste do lago, 26km a leste de Villarrica, Pucón é um dos destinos turísticos mais procurados do Chile, não só por estrangeiros mas principalmente por chilenos. Encontramos aqui uma regiao repleta de belezas naturais, com lagos e muita vegetação nativa, além é claro de alguns dos vulcões mais atrativos da América do Sul, como é o caso do precioso Vulcão Villarrica, localizado um pouco mais ao sul da cidade. Construidas na língua de uma península, Pucón possui duas praias de areia negra, de origem vulcânica, é claro, onde os turistas podem banhar-se e dedicar-se a esportes aquáticos. Os lagos estão conectados por rios ideais para esportes radicais como Rafting e Kayak e várias excursões partem da cidade para explorar o Parque Nacional Huerquehue e também o Parque Nacional Villarrica. As ruas de Pucón estão repletas de bares e locais turísticos, onde o turista com vontade (e condições econômicas) podem se esbaldar e gastar o que podem. Lembrem-se que a cidade é considerada bastante cara, já que o turismo é a principal fonte de renda de muitos dos que moram aqui. O centro do comércio fica entre a Avenida O´Higgins e o Gran Hotel Pucón.

Passamos 4 noites em Pucón onde tivemos varias experiências incríveis. Sugiro tranquilamente entre 5 e 6 dias nessa localidade, se suas intenções são conhecer bem os parques e explorar bem a regiao. Além disso estávamos de carro, o que nos permitiu um deslocamento muito mais pratico e independente, exceto pela excursão ao Vulcao Villarrica que foi feita com uma agencia local.


 

Escalada ao Vulcão Villarrica

DCIM100GOPROGOPR0492.
Escalando o Vulcão Villarrica, Distrito da Araucanía (Chile)

O Villarrica, um dos vulcões mais chamativos do Chile, possui 2.840m de altura é ainda é ativo. Fica a 8km ao de Pucón. Devido a sua ultima erupção no ano passado, as autoridades locais restringiram bastante o seu acesso, que atualmente somente está permitido com agencias locais, devidamente autorizadas e regulamentadas. A recomendação é procurar uma agencia séria e com tempo de atuação, como é o caso da Patagonia Experience e da Politur, assim como tantas outras localizadas na avenida O’Higgins. Não procure preço e sim qualidade no atendimento e seriedade, com guias experientes e devidamente capacitados. A questão é que, justamente devido a estas ultimas restrições, os preços subiram bastante é dificilmente você encontrará preços abaixo de 90.000 pesos chilenos (sempre tente pedir um descontinho, principalmente se está viajando em grupo). Normalmente as excursões incluem praticamente tudo, desde o transfers até a base do vulcao, equipamentos especiais, mochila, roupas de frio, mascaras de gás e, claramente, os guias de montanha. A maioria não inclui nada de comida e a sugestão é levar um sanduiche, frutas como uma banana e ou uma maca, chocolate, barras de cereal e frutos secos. O mais importante: água! Recomendado ao menos 2 litros de água! Lembre-se que a excursão dura entre 5 e 6 horas e o exercício é intenso. Óculos escuros e bloqueador solar são itens praticamente obrigatórios!

vulcao villarrica

Agora vem o detalhe sórdido: A caminhada até o cume dura entre 3 e 4 horas, porém você pode pular dos primeiros 400m pegando um teleférico (10.000 pesos chilenos). Eu e meu amigo Daniel, juntamente com uma jovem italiana, decidimos caminhar esse trecho, que dura aproximadamente 1 hora e tem uma dificuldade elevada. Lembre-se que a base do teleférico já se encontra a 1.400 metros de altura e este trecho inicial de caminhada não é recomendado a qualquer: se seu objetivo é atingir o cume, pegue o teleférico; se você é daqueles que, como eu, prefere fazer o caminho completo, possui um estado físico regular e é daqueles que acredita que nessa vida os desafios constroem a conquista, vá caminhando! Essa é a dica!

VEJA AQUI AS FOTOS DA ESCALADA AO VULCÃO VILLARRICA

Tivemos um dia maravilhoso e uma experiência edificante! No cume, tivemos a oportunidade de sentir toda a fumaça saindo da cratera e escutar as borbulhas da lava somente há 100 metros abaixo de nós; por ter sido um dia incrivelmente claro, a vista da paisagem ao redor nos brindou com outros tantos vulcões, como o Lanín (3.747 mts) e o Llaima, além da vista de Pucón, Villarrica e seu lago. Tinhamos agendado a excursão para um dia antes, o dia 12/01, porém devido ao mau tempo todas as excursões foram canceladas, por ordens superiores. Assim nos transferiram para outra agencia, chamada GoPucón, relativamente nova na cidade, porém que demonstrou um brilhante serviço, com guias experientes e atenciosos e até com uma cervejinha na volta! Na volta do cume, o auge da excursão é descer em tobogã (ou no melhor estilo Esquibunda), com os equipamentos tambem incluídos no pacote, o que nos poupa algumas horas de caminhada e se torna uma das partes mais divertidas da excursão. Enfim, uma maneira de relaxar depois dessa tão dura caminhada ao escalar o Vulcao Villarrica. Vos deixo agora com as fotos dessa escalada, convidando aqueles que se animam para fazê-la uma vez em Pucón: definitivamente, uma das melhores experiências em termos de atividade física, desafio mental e beleza natural!


 

Parque Nacional Huerquehue

DSC_0645

A curta distancia a leste do Lago Caburga este Parque Nacional chileno, mantido pela Conaf, tem 12.500 há e altitudes de até 1.952m nos Picos Del Caburgua. Abrange cerca de 20 lagos, alguns bem pequenos, e muitas araucárias, uma das arvores icônicas da regiao. A entrada e a administração fica na orla oeste, pero do Lago Tinguilco, o maior do parque, e possui o custo de 1.500 pesos chilenos (até a presente data, pelo menos). Da entrada do parque, parte uma trilha bem sinalizada para o norte subindo uma colina íngreme até o Lago Chico, onde o caminho se bifurca para o Lago Verde ou para a Laguna Toro. Lembre-se de tirar todas as duvidas e pegar algum mapa do parque na entrada, pois a trilha total dura ao redor de 6-7 horas ida e volta, mas pode-se chegar até o Lago Verde e volta, de aproximadamente 5 horas. Foi justamente esta ultima opção que fizemos, pois não tínhamos tanto tempo assim e no dia seguinte tínhamos já agendado a escalada ao Villarrica. De qualquer forma, o parque é precioso e as tantas cascatas e paisagem natural fazem desse passeio imperdível, principalmente se seu objetivo é contato com a natureza. Além disso, é um ótimo treino para a escalada ao Villarrica, já que seu nível não é tão alto mas exige certa condição física. As fotos que seguem mostram um pouco dessa experiência no Parque Nacional Huerquehue.

Várias das informações fornecidas nesta matéria foram retiradas da Guia Footprint Patagonia

Volcán Villarrica, Janeiro 2016

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s