Tartarugas Gigantes de Galápagos

dsc_8625
Serie: Galápagos Experience  // Fotos y Edición: Felipe “Pipo” (viajandonaviaje.com)

Após 2 noites em Puerto Baquerizo, foi hora de voltar para Ilha Santa Cruz no Speedboat da manha para no Speedboat da tarde tomar rumo para a Ilha Isabela. Essa ida foi um pouco mais cansativa, já que saímos bem cedo da Ilha San Cristobal e, ao chegar em Puerto Ayora, fomos direto para a Estacao Charles Darwin e Centro de Criação de Tortugas Gigantes da Ilha Santa Cruz. Muito interessante vivenciar o trabalho que é realizado não só nesta ilha, bem como em todas as outras, para promover a preservação destas espécies de Tartarugas Gigantes. Durante muitos anos estes interessantes repteis foram explorados e inúmeras colônias foram exterminadas, pela pura ganância do ser humano. Episódios como estes nos fazem repensar sobre nosso papel na natureza, porém o resultado histórico é exemplar: várias espécies desapareceram e também, gracas a tantos animais domésticos introduzidos, como cabras, gatos, cachorros e bovinos, o ecossistema das Galápagos se alterou significativamente. Os esforços destes centros em estimular a reprodução e também o cuidado com estas espécies é um belo exemplo e realmente funciona, ao passo que se não houvessem tais projetos, um maior número de espécies já estariam desaparecidas.

 

Las islas fueron declaradas Patrimonio de la Humanidad en 1978 por la Unesco. El archipiélago tiene como mayor fuente de ingresos el turismo y recibe 200 000 turistas al año. También se ha desarrollado el turismo ecológico con el fin de preservar las especies. La región fue el hábitat de El Solitario George, el último espécimen de la especie tortuga gigante de Pinta, extinta el 24 de junio del 2012. Las islas también son hábitat de especies como tortugas marinas, delfines, tiburones, leones marinos y pingüinos, entre otras.
Galápagos es conocido por sus numerosas especies endémicas y por los estudios de Charles Darwin que le llevaron a establecer su teoría de la evolución por la selección natural. Son llamadas, turísticamente, Las Islas Encantadas, denominación que se ganó el archipiélago en el siglo XVI por su grandiosa biodiversidad de flora y fauna, heredando el nombre por generaciones.
Fonte: Wikipedia

CLIQUE AQUI E ACOMPANHE O COMEÇO DESTA AVENTURA NAS GALÁPAGOS

galapagos_cshl_map101
Arquipélago das Galápagos e a distancia do continente (mais de 1.000km do Ecuador) // Fonte: Google Images

Símbolo das Ilhas Gálapagos, de onde vem o próprio nome das ilhas, as Tartarugas Gigantes (Chelonoidis nigra) fazem parte deste belo conjunto de seres vivos que só se encontram neste santuário natural. Ao descobrirem-se estas ilhas no Oceano Pacífico em 1535 (e logo mostrada por primeira vez em mapas náuticos em 1570), foram inicialmente chamadas “Insulae de los Galopegos” (Islas de las Tortugas), em referencia a estas gigantes criaturas que os navegantes encontraram aqui, pois “galápago” é uma antiga palavra espanhol que significa “tortuga” (tartaruga).

Fazem parte de um complexo que engloba 10 espécies destas que são as maiores e mais longevas tartarugas do planeta e habitam em 7 das ilhas vulcânicas das Galápagos. O próprio Charles Darwin já havia reconhecido uma diversidade morfológica deste animal, durante sua visita em 1835, o que apoiou sua teoria da evolução das especies. Inicialmente, os integrantes deste complexo eram tratados como subespécie de uma única especie: Chelonoidis nigra. Porém, a principio do século XXI, estudos encontraram maiores diferencia genéticas, pelo que se começou a considera-las todas como especies plenas, pertencentes, dada sua origem evolutiva, ao único gênero Chelonoidis.

 

dsc_8596
Serie: Galápagos Experience ©ViajandoNaViaje 2017 // Fotos y Edición: Felipe “Pipo” // Tortugas gigantes de Galápagos

Entre seus membros, se incluem as tartarugas terrestres vivas mais longevas do mundo, alcançando mais de 450 kg e mais de 2 metros. São os vertebrados com maior expectativa de vida, podendo superar os 100 anos e, em cativeiro,  pelo menos até os 170 anos. A sua variabilidade e características morfológicas criaram é visível principalmente nas suas grandes e pesados cascos ósseos, que se foram adaptando aos diferentes ambientes de cada ilha.

Com uma idiossincrasia solitária, ocupam as zonas mais úmidas e frescas das ilhas, normalmente subindo aos vulcões e nas partes centrais e regressando as zonas baixas em épocas de chuva. Principalmente nas horas de sol forte, é normal encontrá-las debaixo de árvores ou metidos em lagoas de lama para poder refrescar-se e evitar insetos. É incrível o esforço destes seres para sobreviver em zonas tao quentes e, ao mesmo tempo, percorrer grandes distancias com estes enormes volumes a serem transportados. São considerados importantes agentes dispersantes de sementes pois, ao se alimentar e ocupar grandes extensões nas ilhas que habitam, contribuem e facilitam a variabilidade vegetacional. Além disso, podem permanecer grandes períodos (estudos indicam que até 1 mês) sem beber nem comer nada. Além disso, ao longo de esta pequena “rota migratória”, o que faz das tartarugas gigantes das Galápagos um dos seres mais importantes no transporte de sementes e variabilidade vegetacional das ilhas.

Na ilha Santa Cruz, o Centro de Pesquisa Charles Darwin, pioneiro no assunto e criado nos anos 60, demonstra as diferentes áreas de pesquisa e preservação realizadas nas Galápagos. Em cada uma das 3 ilhas habitadas de importância turística (Santa Cruz, San Cristoval e Isabela) existem centros de criação acessíveis ao público, mostrando todas as fases de criação, desde a incubação dos ovos, o controle de temperatura e ambientação natural, até a eclosão dos ovos, alimentação, estudos e observação das crias, até a liberação destes seres em seus habitats naturais, onde também serão estudados e observados para entender mais acerca de seus comportamentos. Gracas a projetos do tipo, as Galápagos apresentam hoje uma certa evolução positiva no volume demográfico das diferentes espécies, mas muito há que se fazer ainda para reparar o impacto negativo histórico do ser humano.

Outra visita imperdível na Ilha de Santa Cruz é o Rancho “El Chato”, uma fazenda onde funciona atualmente um centro de visita onde Tartarugas Gigantes vivem em seu estado selvagem (sem nenhum mecanismo de proteção ou alimentação). Simplesmente este é o lugar delas e desde que se descobriu a viabilidade turística do lugar, os visitantes podem acessar e conhecer um pouco mais destas tartarugas. O contato com estes seres gigantes é intenso e podem ser observados alimentando-se, caminhando lentamente até chegar naa lagoa de lama onde podem refrescar-se, e até mesmo copulando, já que agora (Fevereiro) se inicia a temporada reprodutiva destes gigantes das Galápagos. Aproveitem as imagens que seguem para apreciar esta beleza natural única no mundo.


Não deixe de acompanhar nosso próximo post sobre a Ilha Isabela, a tranquilidade da maior (e com mais vulcoes) das ilha Galápagos e o belo contato com os Piqueros de Pata Azuis e os Pinguins das Galápagos. Confira aqui conosco no @ViajandonaViaje
Facebook: www.facebook.com/viajandonaviaje
Instagram: www.instagram.com/viajandonaviaje

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s